Entenda o que é e como funciona o intraempreendedorismo

Por 11 de janeiro de 2018Mercado

Ter uma postura empreendedora dentro de uma empresa tem grande valor para as organizações que buscam inovação

É fato: o empreendedorismo entrou na moda e não saiu mais. Mas e aqueles profissionais que, apesar de terem características empreendedoras, trabalham para outras pessoas? Eles também podem exercer seu espírito de inovação dentro das empresas para as quais trabalham – e essa atitude começa a ganhar destaque e ser valorizada dentro das organizações.

Atualmente, o chamado intraempreendedorismo é um dos mais valiosos recursos das empresas interessadas em inovar. Para o professor Marcelo Pedroso, coordenador do mestrado profissional em Empreendedorismo da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), estimular o espírito empreendedor dentro das empresas é fundamental, mas nem sempre o processo é simples. “As organizações mais tradicionais geralmente não são empreendedoras, muito pelo contrário, elas têm bons sistemas de gestão que dão certa estabilidade e acabam inibindo esses processos internos inovadores”, explica.

Quando incentivados pela cultura organizacional, porém, os colaboradores intraempreendedores podem ser decisivos na criação de produtos, serviços e até processos.

Quem são os intraempreendedores?

Os intraempreendedores são colaboradores que se destacam na análise dos processos atuais, são inovadores e buscam novas oportunidades, sempre com uma visão ampla sobre a empresa.

Segundo Pedroso, a área de Novos Negócios é o grande foco quando se trata de intraempreendedorismo, porque, geralmente, as empresas se concentram apenas em criar diferentes produtos e serviços, e não há um departamento focado no planejamento de diferentes investimentos.  Esse processo pode até mesmo dar origem a startups ou diferentes empresas dentro da organização. Por outro lado, o empreendedorismo interno influencia na satisfação e manutenção dos colaboradores, que se sentem ouvidos e motivados.

A boa notícia é que é possível desenvolver uma atitude mais empreendedora. Esse processo, porém, é um processo de experimentação controlada. “Quando se fala em experimentação controlada, isso significa testar um novo negócio que foi planejado, analisar os resultados, e executar as mudanças necessárias.  Assim, é um processo contínuo de aprendizado”, explica Pedroso.

Descubra algumas características de um profissional intraempreendedor:

  • Mantém o otimismo e a motivação, mesmo diante de grandes desafios.

  • É reconhecido por sua energia e perseverança.

  • Sente vontade constante de realizar novos projetos.

  • Tem propensão para assumir riscos.

Empreendedorismo x proativividade

Naturalmente um empreendedor é uma pessoa proativa – que antecipa e tenta resolver problemas por conta própria, sem precisar de orientações o tempo inteiro –, mas não necessariamente o contrário é válido. Enquanto um proativo toma iniciativa para encontrar um cliente novo para vender o produto da empresa, por exemplo, o intraempreendedor pensa em novos produtos e até em modelos de negócios.

Intraempreendedor x empreendedor

A atitude empreendedora aproxima o profissional que empreende do intraempreendedor. Mas, afinal, o que os diferencia? De maneira geral, o primeiro investe suas energias em uma empresa própria (e precisa ter várias habilidades para conseguir tocar o próprio negócio), enquanto o segundo precisa buscar espaço em uma empresa já consolidada – para isso, se dedica a conhecer a cultura organizacional de onde trabalha e, a partir daí, se perceber abertura, pode permanecer atento aos negócios da empresa, realizar networking com outros funcionários e mostrar suas ideias dentro da organização.

Porém, enquanto o empreendedor precisa compreender e encontrar a melhor maneira de captar recursos externos para o seu negócio, o intraempreendedor precisa entender mais da dinâmica corporativa, incluindo como é realizada a escolha dos objetivos estratégicos e o investimento dos recursos.

Deixe um comentário