O que está por trás das perguntas mais comuns em entrevistas de emprego

Veja o que os recrutadores desejam avaliar com essas questões, e como você pode respondê-las da melhor forma para se destacar em um processo seletivo

Por 21 de junho de 2018Carreira

Há perguntas que se repetem em quase todos os processos seletivos. Algumas delas parecem simples, mas na hora H surgem as dúvidas (“o que o recrutador quer saber com isso?” ou “será que estou me prejudicando?”) que podem minar a confiança e o desempenho do candidato… Se você quer evitar essa preocupação e ter mais tranquilidade durante uma entrevista, o melhor é estar preparado!

Segundo a professora e coordenadora dos cursos de Administração da Universidade Anhembi Morumbi, Sylvia Ignacio da Costa, os selecionadores geralmente usam essas questões porque elas são uma forma de conhecer melhor o candidato e seus valores – e analisar se estão alinhados com os da empresa –, além de entender de que forma o profissional poderá contribuir para a organização.

“Uma boa apresentação pessoal coloca o candidato à frente dos demais. Assim, ele deve se apresentar de forma positiva, expondo com clareza suas habilidades e evidenciando os seus objetivos profissionais. As empresas esperam que o candidato possua as competências para o cargo solicitado e é no momento da entrevista que a qualificação é avaliada”, explica.

O primeiro passo para responder bem a uma pergunta e evitar gafes na entrevista é entender qual sua importância e o que o recrutador vai avaliar a partir dela. Confira as dicas!

  1. “Conte-me um pouco sobre você…”

O que está por trás: geralmente é a primeira pergunta da entrevista, com ela o entrevistador quer mesmo conhecer a história, expectativas e sonhos do candidato.

Como responder: aproveite essa questão como uma oportunidade para contar sobre si mesmo, mas sempre focando na vida profissional. “O candidato deve destacar as experiências profissionais mais interessantes para a empresa e a vaga a que está concorrendo. É importante que seja transparente e responda de forma tranquila, sem mentiras ou exageros”, diz Sylvia.

Dica para quem não tem experiência: destaque algum projeto que você tenha desenvolvido na escola ou faculdade, como a participação em cursos, eventos, trabalhos acadêmicos, trabalhos voluntários ou intercâmbios. O importante é evitar histórias da vida pessoal e buscar aquelas que podem mostrar habilidades e características profissionais, mesmo que não tenha tido um emprego anterior.

  1. “Onde você se vê daqui a cinco anos?”

O que está por trás:  quando faz perguntas sobre planos, a empresa quer avaliar se o profissional tem visão de futuro, observando se ele se interessa em construir uma carreira na organização.

Como responder: a dica aqui é pensar um pouco sobre o assunto antes da entrevista. Quais são suas expectativas profissionais em curto e longo prazo? Sua resposta deve demonstrar que você já refletiu sobre isso e que planeja sua carreira, além de destacar que a vaga em questão está realmente relacionada à sua área de interesse profissional. Não é necessário especificar os cargos que pretende ocupar. Fale sobre seus objetivos e como pretende alcançá-los.

  1. “Qual é o seu maior defeito/qualidade?”

O que está por trás:  o recrutador quer perceber se você é capaz de fazer uma autoavaliação verdadeira, mas também considerará a resposta para refletir se você tem as competências exigidas pela vaga.

Como responder: para se sair bem nesse tipo de resposta, é essencial o autoconhecimento. Responda aquilo que foi perguntado – há variações da pergunta que pedem para citar mais do que um defeito/qualidade, por exemplo. “Ao falar sobre os pontos fortes alguns candidatos ficam receosos em parecer exibidos, porém estes pontos devem ser ressaltados com naturalidade, demonstrando os seus diferenciais em relação a outros candidatos”, explica Sylvia.

O que não fazer: na hora de falar sobre os defeitos, seja sincero, e tome cuidado para não citar o que você considera uma qualidade como defeito disfarçado, ao dizer, por exemplo: “meu maior defeito é trabalhar demais”.
“Não enfatize os pontos fracos, porém, ao citar algum, sinalize o que está fazendo para melhorar e quais resultados já obteve”, orienta a professora. O cuidado deve ser duplo: não assumir seus defeitos pode soar como arrogância ou ingenuidade, mas comentá-los sem demonstrar que os percebe e pensa em como superá-los pode te prejudicar na seleção.

  1. “Por que você está interessado em trabalhar nesta empresa?”

O que está por trás: o recrutador quer entender qual é o seu real interesse sobre a organização, quais os motivos que o levaram até lá e se seus valores são os mesmos que os da empresa.

Como responder: em sua fala, procure demonstrar que tem interesse pela empresa e o que sabe sobre ela – faça uma pesquisa prévia para conhecer um pouco sobre a história e o setor de atuação –, evitando deixar a sensação que está apenas à procura de qualquer vaga que lhe garanta um salário. Em vez de comentar sobre a remuneração, foque em falar sobre as oportunidades profissionais e de aprendizado que o cargo pode lhe propiciar.

  1. “Conte sobre alguma vez em que você tenha cometido um erro.”

O que está por trás:  essa questão visa avaliar, principalmente, se o candidato tem capacidade de aprender com os próprios erros.

Como responder: no momento de responder, não destaque demasiadamente o erro. Conte sobre uma situação profissional em que observou algum ponto fraco seu, mas ressalte mais a parte da história em que você consegue melhorar e resolver o problema. Enxergue nessa pergunta uma oportunidade para falar de seu desenvolvimento.

Caso realmente não se lembre de nenhuma situação,  é melhor informar ao recrutador do que comentar histórias muito pessoais, por exemplo. Mas, lembre-se: você pode usar exemplos que tenha vivido quando era estudante e que, de alguma forma, contribuíram para o seu crescimento!

  1. “Por que saiu do seu último emprego?”

O que está por trás:  nesse caso, o objetivo é conhecer qual foi o motivo que levou o candidato a deixar seu último emprego e como aconteceu esse desligamento.

Como responder: se você pediu demissão, esclareça que está em busca de outras oportunidades de desenvolvimento profissional, evitando comentar questões de remuneração. No caso de ter sido demitido, conte isso, mas sempre com foco nos aspectos positivos da experiência e da oportunidade de procurar uma nova posição – de maneira alguma fale mal da empresa ou de colegas anteriores!

Deixe um comentário