Lifelong Learning: a cultura de aprendizagem contínua no mundo corporativo

Como acompanhar as mudanças do mundo? Estudando!

Por 10 de setembro de 2020Treinamento & Desenvolvimento
lifelong learning

Alguma vez você pensou que seus estudos tinham terminado? Que você tinha finalmente, depois de anos, feito sua parte na educação formal? Muita gente acredita que depois da faculdade você está “formado” para o resto de sua vida. Só que as coisas mudaram. Nossas áreas de atuação, principalmente para quem atua com tecnologia, mudam e se transformam todos os anos.

Em meio a isso surge o Lifelong Learning, que vem tornar o estudo uma prática a se desenvolver pelo resto da vida.

Mas afinal, o que é lifelong learning?

Já trouxemos esse assunto aqui no blog quando abordamos alguns dos termos em alta no mundo profissional. 

Basicamente é “a educação continuada”. É o hábito/mindset das pessoas que perceberam que estudar sempre e aprender sempre se tornou algo básico, uma demanda real do nosso “novo” mundo. A premissa do lifelong learning é que não existe uma linha de chegada para o estudo e nunca está tarde para começar; quem se torna adepto sabe que a caminhada é longa e que o futuro do trabalho demanda esse tipo de visão das pessoas.

Este vídeo explica mais o que é Lifelong Learning:

O conceito de lifelong learning surge do entendimento que o modelo tradicional de ensino não funciona mais e que as pessoas só estão preparadas com os processos e novidades se estiverem sempre se atualizando e, claro, estudando. A maioria das pessoas encara a vida como uma tripartição: estudos no começo da vida, o trabalho na maior parte da jornada e depois, por último, a aposentadoria e o descanso. Entretanto, o mercado hoje demanda que o profissional se reinvente e que tenha novas ideias. 

As pessoas estão vivendo mais, estão mudando de empresas e empregos de maneira relativamente rápida, e a tecnologia muda intensamente a cada três ou quatro anos. O resultado seria uma busca de conhecimento por parte das pessoas e a busca pela sobrevivência e/ou paridade com seus concorrentes, através do conhecimento e da informação; sendo esse um dos principais ativos do século XXI.

Encarar  o conhecimento como algo estático pode colocar o profissional em sérios riscos de marginalização profissional – ficar muito abaixo de pessoas mais jovens e/ou pessoas que aprendem de forma rápida. Portanto, observe como o diploma universitário está sendo menos importante e como cada vez atributos como velocidade de aprendizagem curiosidade se tornam relevantes em processos seletivos.

Como o lifelong learning pode beneficiar a sua equipe

As pessoas que não se atualizam ou que não aprendem novas ferramentas e processos ficam com hábitos e hard/soft skills obsoletas. O mesmo vale para equipes.

Se um grupo inteiro começa a praticar estudos de forma conjunta, o processo pode ser mais interessante, gerando um senso de comunidade entre a equipe. Um exemplo são times internos em empresas que estudam inglês juntos.

Empresas com processos de aprendizagem contínua e de cultura de treinamentos constantes, conseguem promover a evolução das habilidades de suas equipes, ficando “niveladas” com as exigências do mercado. A implementação desses processos contribui para a empresa e a equipe de algumas formas:

  • Melhora o clima organizacional e o convívio entre as pessoas;
  • Gera talentos internamente e pode reter talentos na empresa;
  • O conhecimento do indivíduo fica atualizado, permitindo que as equipes possuam uma base igual e distribuída de conhecimento.

Estudando de qualquer lugar

O ano de 2020 – com a adoção de home office por muitas empresas – colocou à prova os profissionais de RH e gestores na missão de manterem seus colaboradores em ascensão profissional e intelectual dentro de suas empresas.

Se agora as pessoas ficam mais tempo em casa e menos nas empresas, é comum que algumas equipes comecem a incentivar o treinamento à distância, para que os colaboradores continuem  seu crescimento e mantenham a produtividade em dia. Ao aprender coisas novas para acompanhar a atualização do mercado de trabalho e dos processos (que nunca cessam), elas acabam aos poucos criando o hábito do lifelong learning. O estudo contínuo pode ser uma saída para que os membros de sua empresa estejam sempre atualizados e preparados para atender as demandas de seus clientes e lidar com um mundo em constantes mudanças. E eles podem fazer isso de qualquer lugar, apenas com acesso a Internet e plataformas digitais, como as da Tamboro.

Como estimular a cultura da aprendizagem contínua dentro das empresas?

Embora a disposição para o estudo contínuo dependa muito do indivíduo, é possível motivar os colaboradores a adotarem esta postura. Desenvolver o pensamento voluntário e proativo de seguir estudando e se desenvolvendo é uma situação de win-win entre o colaborador e sua empresa.

Veja 5 formas de incentivar essa mudança na sua empresa ou equipe:

1. Incentive a autonomia e o estudo autodirigido, em que o colaborador prioriza o que mais faz sentido estudar em determinado momento da vida e carreira, de acordo com as necessidades do momento. Em uma equipe, isso cria um senso de tomada de decisão e de liberdade, tornando o processo mais leve e compensatório.

2. Ofereça cursos variados para que os colaboradores possam aprender a usar novas ferramentas dentro das suas áreas de atuação e cursos de desenvolvimento de habilidades socioemocionais (as famosas soft skills) que complementem a atuação profissional e promovam o desenvolvimento pessoal.   

3. Promova a mentoria para os funcionários mais novos com os mais sênior, incentivando em especial que os gerentes adorem a postura de mentores de suas equipes. Um gestor pode ajudar os colaboradores a decidirem quais habilidades precisam desenvolver em suas carreiras e como aplicar os conhecimentos adquiridos nos treinamentos na sua rotina. Certamente os gerentes também se beneficiarão com a troca e a reflexão sobre suas próprias carreiras.

4. Valorize o conhecimento tácito e crie oportunidades de troca de conhecimento entre o colaboradores. A solução de um problema que parece muito complicado pode surgir de um colega de outro departamento ou de alguém que está na organização há mais tempo, por exemplo. Além de permitir momentos de troca informal, como a conversa no café, separe momentos formais para a colaboração. A plataforma da Tamboro conta com cases e atividades colaborativas e de co-criação, tudo online e cada um no seu tempo.  

5. Tornar o estudo um hábito passivo: consuma e compartilhe com sua equipe conteúdos de sua área de interesse como podcasts, blogs e vídeos, ao menos uma vez por semana. Lembrando que o importante é ser um tema que você (e sua equipe) tenha prazer em ler/ouvir sobre. Se sua empresa tem intranet ou redes internas de comunicação, use esses canais para postar suas recomendações.

Muitas pessoas que seguem os princípios de aprendizagem contínua, ou parte deles, descrevem a diferença que isso gera em seu trabalho e em suas referências na hora de realizar trabalhos criativos ou na hora de desenvolver projetos. A capacidade de resolução de problemas poderá ser afetada positivamente quando o hábito de estudo e leitura for adotado de maneira progressiva e ordenada.

Permita que cada indivíduo em sua equipe possa contribuir para que o time como um todo se desenvolva e promova inovação. Dessa forma, a empresa e seus colaboradores “não ficam para trás” quando o assunto é a transformação digital e das atualizações constantes exigidas em seu mercado de atuação.

Descubra como a Tamboro pode ajudar você a implementar essa nova cultura em sua empresa. Nossas soluções de treinamentos ajudam empresas transformadoras a potencializar as habilidades da equipe de forma mais inteligente e engajadora.

Join the discussion 3 Comments