4 casos nos quais a criatividade ajudou a conquistar vagas de emprego

Dependendo de seu objetivo profissional, se mostrar criativo logo de cara pode ser um diferencial para se destacar em processos seletivos de empresas

Por 20 de abril de 2018Inspiração

Cerca de 12,7 milhões de pessoas estão desempregadas no país, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em janeiro deste ano. Em um cenário como esse, se destacar em meio ao mar de currículos recebidos pelos departamentos de Recursos Humanos das empresas parece cada vez mais difícil.

Mas alguns profissionais se tornaram assunto na internet compartilhando suas estratégias para lá de criativas na hora de inovar no currículo. Conheça algumas delas. Quem sabe você se inspira com as histórias a seguir e começa a usar a sua criatividade para mostrar todo o seu potencial para as empresas?

É claro que um currículo super diferente pode ser mais eficiente para profissões mais ligadas à criatividade. Mas, em todo caso, montar um currículo que atraente é o segredo para aumentar suas chances nos processos seletivos – sem se esquecer que o CV correto também leva em consideração a empresa que está o recebendo (como startups ou grandes corporações, por exemplo).

Conheça agora alguns casos que ganharam destaque internacional pela criatividade usada para chamar a atenção dos recrutadores em processos seletivos.

  1. Uma garrafa de refrigerante garantiu um emprego

No ano passado, a brasileira Beatriz Carmona (foto) tinha 17 anos e apenas um ano de experiência de trabalho quando decidiu se candidatar a uma vaga na Reachlocal, empresa de marketing digital. O que ela fez? Viralizou seu currículo!

Beatriz estampou seu CV em um rótulo de refrigerante e – tomando o cuidado de documentar tudo no Facebook – entregou a garrafa na recepção da empresa, endereçada para o responsável da seleção, o diretor de Recursos Humanos.

A encomenda, porém, foi parar na geladeira da empresa, passando despercebida pelo diretor. Até que uma foto do curioso currículo foi compartilhada milhares de vezes – surgindo até a hashtag #boasortebeatriz em apoio à adolescente –, chegando a ele, que marcou uma entrevista com a Beatriz. Ela desbancou os 320 currículos recebidos pela empresa e foi contratada como Jovem Aprendiz (e está lá até hoje)!

Beatriz conta que tinha experiência apenas com programas amadores de edição de imagem, e demorou cerca de 6 horas para personalizar o rótulo do refrigerante que a avó havia comprado. “O refrigerante-currículo abriu portas para mim, mas só o meu preparo mesmo que me garantiu a vaga. Se eu não estivesse preparada eu não tinha conseguido”, lembra a jovem.

  1. Adocicando a vida do recrutador

Beatriz diz ter se inspirado em uma matéria que leu sobre o publicitário lituano Lukas Yla, de São Francisco, nos Estados Unidos. Na procura de uma colocação, o profissional de 25 anos resolveu apelar para o estômago dos selecionadores – e também para sua criatividade!

Yla começou a distribuir seu CV em formato de caixa de donuts (cheia das tradicionais rosquinhas americanas, claro). Tudo isso para evitar o descarte do currículo. Na caixa, ele brincava: “A maioria dos currículos terminam no lixo. O meu, na sua barriga”. O profissional chegou a distribuir mais de 10 caixas com os doces, e foi chamado para alguns processos seletivos.

  1. CV catálogo da Netflix

O brasileiro Gustavo Chofra, também publicitário, em 2016, tentou atrair a atenção da sua amada Netflix de forma supercriativa. O jovem, que é diretor criativo, transformou seu CV em um catálogo da empresa de streaming. O site contava com 18 séries e filmes e, clicando sobre eles, a sinopse mostrava as habilidades de Chofra, além de conter montagens de seu rosto em todas as imagens do conteúdo disponível.

“Netflix é meu crush… faço de tudo para chamar sua atenção”, postou ele no Facebook. Apesar de todo o esforço, infelizmente não foi dessa vez que a empresa deu uma chance ao “pretendente”.

  1. Pôsteres que criam vagas

Se não foi a vez de Gustavo, o designer curitibano Bily Mariano conseguiu seu lugar ao sol na famosa Netflix. Ele criou por conta própria nove pôsteres, um para cada episódio da segunda temporada de Stranger Things – série que é um fenômeno de audiência e de comentários nas redes sociais –, todos pensados como se fossem livros do escritor de suspense Stephen King (contando depois com uma outra versão que recria a história em cartuchos do antigo videogame Atari).

É fato que Mariano não desenvolveu as artes como CVs em si, mas elas serviram como porta de entrada. O sucesso foi tão grande que a Netflix resolveu contratá-lo para criar material oficial para a empresa.

Além dos desenhos para Stranger Things, ele já tinha chamado a atenção da plataforma de streaming com pôsteres da terceira temporada de Black Mirror. O criador da série, Charlie Brooker, compartilhou as imagens no Twitter, o chamou para uma conversa e Mariano acabou criando desenhos para episódios da nova temporada.

Deixe um comentário