9 dicas para turbinar sua rede de contatos no LinkedIn

Veja como melhorar seu perfil e usar esta rede social profissional para aumentar as chances de conquistar vagas e fazer negócios

Por 23 de maio de 2018Carreira

O LinkedIn chegou à marca de 500 milhões de usuários no mundo todo no ano passado, e é a rede social mais importante no mundo corporativo – um lugar para ver e ser visto, mas para fazê-lo com um objetivo claro: estabelecer novos contatos profissionais e negócios.

Segundo Luciane Borges, especialista e coach em LinkedIn, para ter sucesso é fundamental que seu perfil esteja completo, com o maior número de palavras-chave possível, mas que seja também atraente para o mercado, contando sua história de forma atrativa ao longo do resumo – tudo isso você pode conferir nas 7 dicas para melhorar seu perfil no LinkedIn. Para entender melhor como turbinar sua página e suas relações profissionais na rede, acompanhe os próximos tópicos!

  1. Faça contatos qualificados

Geralmente quando você cria seu perfil no LinkedIn, se conecta primeiro às pessoas que você já conhece, seus contatos de outras redes sociais ou de seu telefone. Mas vários de seus amigos não trabalham na mesma área que você, certo? Então é importante reservar um tempo para fazer pesquisas e se conectar com pessoas na sua área de atuação ou de interesse, afinal, o networking – o ato de formar uma rede ativa de contatos profissionais – é uma das finalidades do LinkedIn.

Dica: quando você deseja mudar sua área de atuação, seus contatos antigos se tornam menos “qualificados”, ou seja, menos efetivos. Comece a fazer novas conexões voltadas ao momento atual, sempre atualizando sua rede de contatos.

  1. Mande convites personalizados

Sempre que enviar um convite de conexão, mande também uma mensagem especial para a pessoa. Lembre-se que ela também está tentando formar uma rede qualificada, assim como você, então precisa saber por que manter contato contigo é uma boa escolha.

Portanto, se apresente e peça para se conectar. Você pode, por exemplo, escrever uma mensagem a um CEO ou profissional sênior explicando que tem interesse no setor e gostaria de se conectar a alguém com quem pudesse aprender; ou falar com o autor de um artigo sobre o texto que leu…

“Quando você vai a um evento de networking, não sai só distribuindo cartões. Você conversa, se apresenta, fala o que você faz e, depois, distribui o cartão. No LinkedIn é a mesma coisa, mas tudo on-line”, explica a especialista.

  1. Siga influenciadores

Assim como outras redes sociais, o LinkedIn também tem aqueles perfis que se destacam pela grande influência e circulação de conteúdo dentro da plataforma. Segundo Luciane, é interessante que você siga essas pessoas, mas será mais proveitoso ainda se elas forem do seu campo profissional ou de uma área que você tenha interesse.

Também é interessante ficar de olho em influenciadores que escrevam sobre temas mais gerais, porém, valiosos para qualquer profissional – como gestão, inovação ou motivação…

  1. Siga empresas!

Provavelmente você já acessou uma página corporativa, viu as vagas e saiu sem segui-la. Esse é um erro grave, porque, muitas vezes, as empresas usam o feed de notícias – e não a ferramenta “vagas” – para publicar oportunidades, e quem não está seguindo tem menos chances de vê-las.

Além disso, é possível ter acesso a muito conteúdo de qualidade no LinkedIn de empresas. “Imagina se você vai fazer uma entrevista e já começa comentando alguma coisa que viu no LinkedIn? Já é uma forma interessante ter contato com o recrutador e se diferenciar”, aconselha Luciane.

Dica: faça uma pesquisa prévia sobre as empresas que te interessam, incluindo as menos conhecidas. “Todo mundo segue as empresas muito grandes, e deixam de lado as empresas menores que são, justamente, as que tem maior possibilidade de publicar vagas no feed”, explica ela.

  1. Está procurando uma vaga?

Quando você está procurando por um emprego, além de preparar um currículo nota 10, você deve indicar isso no seu LinkedIn. Porém, muita atenção: não coloque esse tipo de informação no título do seu perfil. Esse é o primeiro campo considerado pelo sistema de busca da rede no momento de uma pesquisa, portanto, reserve-o para, de fato, esclarecer seu título profissional.

Caso você escreva “disponível para o mercado/em busca de recolocação”, quando os recrutadores procurarem por, por exemplo, “advogado pleno” ou “analista de comunicação júnior”, não te encontrarão mesmo que você seja um desses profissionais.

Mas, então, como fazer? Coloque essa informação em seu resumo. Adicione também seus dados de contato, para que fiquem visíveis até para aqueles que não são suas conexões diretas.

  1. Tenha recomendações

No LinkedIn há um campo especial para reunir suas competências. Quando acessam seu perfil, seus conhecidos podem validar aquelas habilidades que eles garantem que você possui, gerando maior credibilidade.

Existe, da mesma forma, outro espaço dedicado para as pessoas que de fato trabalharam contigo (ou foram seus clientes) e que podem, assim, escrever recomendações profissionais suas. É possível pedir recomendações e também deixá-las.

A especialista lembra que o campo não deve ser visto como um sistema de trocas, onde há obrigação de se falar bem de quem te elogiou, mas fazer recomendações de pessoas com quem você já trabalhou mostra que você está ativo na rede.

  1. Escreva, publique, comente

Um profissional jovem pode ter receio de fazer postagens e publicar artigos no LinkedIn por ter pouca experiência e medo de parecer arrogante por opinar. Entretanto, o importante nesse caso é mostrar conhecimento.

Se você tem domínio sobre o que vai escrever, não se importe com nível hierárquico e tempo de carreira. Divulgue seu conteúdo, comente tópicos atuais… Essa movimentação é boa para que seu perfil ganhe relevância.

  1. Não se esqueça de nenhum detalhe

Um perfil no LinkedIn tem muitos campos, e quanto mais completo estiver, mais fácil será de fazer negócios e conquistar contatos. Portanto, principalmente se for um profissional com pouca experiência, não se esqueça de registrar também suas conquistas acadêmicas. É possível incluir projetos especiais e Trabalhos de Conclusão de Curso no espaço dedicado às publicações ou até mesmo no seu resumo.

Você também consegue criar uma versão do seu perfil em um idioma diferente, o que é ideal para indicar seu nível de fluência, além de te colocar no mapa da busca por palavras-chave nessa língua. Invista!

  1. Fique de olho nas palavras-chave das vagas

Na hora de pensar quais palavras-chave são mais indicadas para seu perfil, dê uma olhada nas vagas disponíveis para as quais você se candidataria. Elas podem te mostrar o que os recrutadores estão buscando e que termos eles estão utilizando.

Deixe um comentário